como fazer teste de mecha e teste de toque em 3 passos!

O teste de mecha e o teste de toque podem evitar que o seu cabelo quebre, ou que você desencadei um quadro alérgico devido a um procedimento estético. Não é a toa que ele é o primeiro passo para qualquer processo tanto capilar, quanto corporal… Não sabe como fazer o teste de mecha e o teste de toque sozinha? Descubra nesse post em 3 passos simples.

teste de mecha

Vou começar falando sobre o teste de mcha que é voltado para o cabelo! Mas vale lembra que tanto ele, quanto o teste de toque podem e devem serem feitos tanto por um profissional, quanto por nós mesmos; por isso, não tenha vergonha de questionar antes de começar o procedimento se será feito ou não! Modéstia parte, eu sempre desconfio das pessoas que não realizam, pois acabam me passando insegurança profissional e a ideia de falta de cuidado com o cliente. Acho que diante desse tipo de situação não vale a pena o risco né?

Mas vamos lá… o teste de mecha como falei mais acima, é uma “técnica” feita no cabelo antes de qualquer química, como por exemplo, um alisamento, uma descoloração e tonalização, que vai mostrar se o cabelo está saudável o suficiente para sofrer tal transformação.

Além disso, o teste de mecha funciona como um alerta para quem está realizando o método, pois vai mostar a compatibilidade química dos produtos. Dessa forma, o teste de mecha pode ser considerado um teste drive de como os fios irão se comportar diante da química.

O corte químico, o ressecamento, a cor, e a formação de pontas duplas são evitadas quando fazemos o teste de mecha! Mais a baixo vou explicar detalhadamente como fazer o teste de mecha.

teste de mecha

 

Já o teste de toque está ligado a composição do produto em si. Ele serve para mostrar se o organismo possui alguma reação alérgica a alguma substânica presente na fórmula do creme, tintura… por isso, deve ser feito antes de qualquer procedimento estético, incluindo os tratamentos capilares.

Antes de explicar agora como realizar os testes, gostaria de salientar que ambos devem ser feitos no mínimo 24 horas antes do procedimento de fato, e que estão sujeitos a aprovação ou não!

  • Como fazer o teste de mecha?

O teste de mecha varia de acordo com, literalmente, cada produto, afinal, é uma mini demonstração dele. Se você vai descolorir os fios por exemplo, é importante que você abra as mechas, espere o tempo necessário e finalize como a técnica exige. Depois, espere 24 horas, e veja como se econtra o fio… se estiver íntegro, o teste foi aprovado, e assim o cabelo poderá sofrer aquela transformação química… mas, caso ao contrário:

– se o cabelo não passar no teste de mecha, o que devo fazer? 

Nesse caso, é importante cuidar dele, tanto para fortificar, quanto para devolver a hidratação, e a nutrição aos fios. Um cuidado de dentro para fora além de ser mais eficiente, é também mais rápido e seguro. Por isso, é indicado fazer o uso de algum suplemento alimentar, como por exemplo as cápsulas Megga Hair.

Em 30 dias o cabelo fica muito mais forte, e pronto para passar por qualquer química.

Recentemente, passei por uma tranformação química que só foi possível graças a cápsulas Megga Hair. Veja um pouco mais da minha experiência no vídeo abaixo:

 

Dessa forma, o teste de mecha é um demonstrativo do procedimento que será realizado!

  • Como fazer o teste de toque? 

Além do teste de mecha, é indicado que você faça o teste de toque! Para a realização dele é só pegar uma pequena quantidade do produto, pode ser a mesma para o teste de mecha, e passar atrás da orelha, ou no antebraço. Aguarde no mínimo 1 hora, e retire o excesso… depois observe pelas próximas 24 horas se o organisno irá apresentar algum tipo re reação, como vermelhidão, coceira, e empipocamento da região. Se não houver nenhuma alteração, pode seguir com o tratamento. Mas…

o que fazer se apresentar alguma reação ao teste de toque?  

Nesse caso, diferente do teste de mecha, não tem tratamento. Por isso, se o produto não passar no teste de toque é importante suspender o procedimento.

Lembre-se portanto que os testes não são vitalícios, ou seja, há a necessidade de refazê-los toda vez que ocorrer um novo procedimento.

Com amor,

Vi Lombardi (@vi.lombardi)